A Comissão de Revisão do I Congresso Ibérico de Semiótica aprovou 127 propostas para apresentação durante o evento. Prevê-se a participação de investigadores de países europeus e lusófonos, em particular do Brasil.

O encontro propõe uma reflexão sobre a tríade conceptual “modas, modos e maneiras”. A moda foi objecto de uma especial atenção em importantes trabalhos semióticos, entre os quais se destacam os de Bogatyrev, Jakobson, Barthes, Greimas, Eco e Fabbri. A contribuição de Simmel para uma sociologia da moda deve ser assinalada tal como a de Yuri M. Lotman, que definia a moda como “metrónomo do desenvolvimento cultural”, quer dizer, do devir histórico de uma cultura.
A interdefinição dos termos modas, modos e maneiras, em cujo núcleo semântico se encontra a questão da morfologia, certifica a importância de uma reflexão sobre modos de existência semiótica. Desta forma pretende-se abarcar distintas manifestações semióticas: desde os modos, entendidos seja como limite ou fronteira, seja como permanência temporal (maneiras, costumes), até à moda no sentido de forma e de acontecimento. Além disso, o congresso visa promover o diálogo entre a semiótica e outras disciplinas que se ocupem de fenómenos ligados à moda, às formas de vida ou à história do presente.
Por último, um dos grandes desafios será o de incluir um espaço dedicado a áreas e atividades relacionadas com a moda: trata-se do estabelecimento de pontos de contacto entre a dimensão científica e analítica da semiótica e a dimensão prática daqueles que se ocupam do presente e das suas tendências.

O I Congresso Ibérico de Semiótica: Modas, Modos, Maneiras terá lugar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e na Fundação Calouste Gulbenkian de 23 a 25 de novembro de 2017 e é uma co-organização do Centro de Investigação de Comunicação, Informação e Cultura Digital (CIC.Digital FCSH/NOVA) e da Asociación Española de Semiótica.
Para consultar o site do Congresso, aceda aqui.