Ficção e as Raízes da Cibercultura

Coordenador: Jorge Martins Rosa
Duração: 2010-2012
Referência: PTDC/CLE-LLI/099000/2008
Financiamento concedido: €35 000

ficcao raizes ciberculturaO projecto procurou traçar, analisando uma amostra significativa de obras de ficção (nomeadamente de ficção científica) publicadas entre 1870 e 1970, uma genealogia dos actuais discursos que caracterizam a condição contemporânea como «cibercultura».

Numa das obras fundamentais para o estabelecimento do quadro conceptual deste projecto, How we Became Posthuman: Virtual Bodies in Cybernetics, Literature, and Informatics, de Katherine Hayles, reconhece-se que é também na ficção (e não apenas na teoria ou na prática) que determinados conceitos se disseminam no imaginário colectivo. Esta hipótese, que tem vindo a ser testada de modo mais aprofundado, especialmente nos Estados Unidos no que respeita às relações entre cibercultura e ficção científica, obriga a uma investigação interdisciplinar, congregando em particular as áreas dos estudos literários (na qual foi apresentada a candidatura a este projecto) e das ciências da comunicação (área principal da sua instituição de acolhimento).

O objectivo principal foi, nesse sentido, uma análise transversal a uma parcela representativa do corpus literário de ficção publicado entre 1870 e 1970, cruzando um conjunto de dimensões e metodologias (indo ao encontro das especificidades de cada um dos membros da equipa), procurando encontrar elementos que permitissem avaliar a questão de partida: saber em que medida o tratamento que é feito de determinadas temáticas – nomeadamente as que costumam vir associadas ao género da ficção científica – se vê reflectido (e de que forma) nos actuais discursos que procuram catalogar a condição contemporânea como sendo «cibercultura» (pós-humanismo, sociedade em rede, virtual, e outros entretanto identificados).

 

Algumas actividades e resultados públicos